Uma máquina ou um cérebro. Como você vê a sua equipe, sua empresa?

Atualizado em

A forma como você vê, ou seja, a imagem que você tem da sua equipe e/ou da sua empresa impactam diretamente nas suas ações de liderança. Uma máquina ou um cérebro. São duas imagens possíveis. Será que elas podem se combinar e formar uma síntese?

Olá Líder!

Desejo que você esteja tendo um ótimo dia e que a Paz possa reinar sempre em seu coração. Independentemente dos problemas e o imenso barulho, que muitas vezes nos cerca.

uma máquina ou um cérebro

Google imagens

Quero poder trocar uma ideia com você sobre a sua visão de mundo, das pessoas e das empresas.

Aqui na Conducere, dentre algumas visões da organização, especialmente as propagadas por Gareth Morgan na sua obra Image of Organization, escolhemos duas para trabalhar de forma prioritária.

Uma máquina ou um cérebro. Estas são as visões, que definimos para refletir sobre como nossos modelos mentais, que foram os nossos paradigmas, impactam diretamente nas nossas ações e decisões.

De fato isso é extremamente relevante, pois se você consegue enxergar a sua equipe, ou toda a sua empresa, somente como uma grande máquina, quer dizer que ela não tem a capacidade de pensar. Deve sim funcionar como uma grande, e muitas vezes complexa, engrenagem de processos encadeados entre si.

Por outro lado, caso você veja a sua equipe, e também a sua empresa, como um cérebro, quer dizer que ela tem a capacidade de criar novos conhecimentos, aprender e inovar por conta própria.

Obviamente, que ver as pessoas e/ou a empresa como uma máquina ou um cérebro leva a formas de liderar bastante distintas.

Porém, o grande segredo do sucesso para a Liderança Inteligente é: posso gerar uma síntese entre uma máquina ou um cérebro? Será que é possível conciliar tais visões numa mesma organização? Serão elas autoexcludentes?

A Liderança Inteligente passa por compreender como você vê as pessoas e a empresa

Ao apresentarmos aqui a visão das pessoas e da empresa como uma máquina ou um cérebro parece que é facilmente identificável perceber quando pensamos assim.

Será que é isso mesmo?

Por mais óbvio que pareça, isso não é lá tão fácil.

Por quê?

Nossos modelos mentais estão tão arraigados em nós, que parece que eles sempre estiveram conosco. Não se desenvolveram ao longo do nosso processo de aprendizagem e desenvolvimento.

Vejamos.

você acredita na equipe

Freepik.com

Empresa como uma máquina: nesse caso, a ênfase está na visão das partes, as quais tem um papel bem definido no funcionamento do todo. Nessa metáfora entendemos que a organização opera de uma maneira rotineira, eficiente, confiável e previsível.

Empresa como um cérebro: a partir desta visão, vê-se a organização como capaz de processar informação, aprender e ser inteligente. A palavra chave é a Inteligência Corporativa que propiciaria a auto-organização para lidar com os aspectos de evolução contínua. Ênfase na inovação sustentável.

Então … será que você SEMPRE vê a sua equipe e/ou empresa como uma máquina ou um cérebro? Nunca há uma oscilação entre as duas visões?

Parece-me normal, e até salutar, que haja situações, onde o ideal é trabalhar com a visão de uma máquina. No caso de uma nova normatização de segurança do trabalho, por exemplo. Neste caso, permitir que cada pessoa aplique, ou não, a norma de segurança da forma que deseja, pode trazer sérios riscos para a empresa e para as pessoas.

Já no caso de desenvolver um novo produto, parece muito mais adequado aplicar a visão da empresa como um cérebro. Somente confiando no potencial criativo das pessoas é que podemos contar com seu espírito inovador.

Permita que as pessoas pensem, criem e se sintam seguras. Não limite sua visão a uma máquina ou um cérebro.

Permitir que as pessoas da sua equipe pensem, por incrível que pareça, é um dos grandes atributos da Liderança Inteligente.

Aliás, não é somente permitir que pensem. Faz-se necessário compreender como as pessoas aprendem, como criam conhecimento, como se gera inovação.

Intelligent Leadership - Desenvolvimento de LíderesTudo isso nós trabalhamos no programa Intelligent Leadership (Formação para Líderes Inteligentes), em suas cinco dimensões.

Por isso mesmo, insistimos no fato de que você necessita criar uma síntese entre a visão de uma máquina ou um cérebro. Isso é perfeitamente possível.

Aliás, sobre a importância das pessoas, dos seus modelos mentais, da forma como pensam e agem, li recentemente um artigo muito interessante na Harvard Business Review Brasil. Trata-se de: Diminuir a lacuna entre estratégia e execução significa focar no que os funcionários pensam, e não no que fazem.

Neste artigo, os autores Alison Reynolds e David Lewis demonstram que antes de pensar em ações, em processos e organização a ser implantada, deve-se pensar em compartilhar, dividir as responsabilidades. Além de saber contar com o potencial criativo e o poder da aprendizagem das pessoas.

Isso sem dúvida, e eu concordo, diminuirá a lacuna entre a estratégia e a execução.

Exercite e amplie a sua visão. Revise seus modelos mentais, constantemente

Recentemente, a Valeska S. Fontana Salvador e eu, escrevemos dois posts, os quais creio poder lhe ajudar nesta missão.

Avalie estes por gentileza: Modelos mentais: redefina-os e inove seu ecossistema empresarial e este Para liderar de forma inteligente, a solução é saber silenciar!

Além disso, caso queira aprofundar mais seu conhecimento sobre estas visões de Gareth Morgan (uma máquina ou um cérebro), e exercitar isso de uma forma criativa, sugiro que avalie este talk.

Talk Show: aprendizagem, conhecimento e inovação

Freepik.com com alterações da Conducere

Talk Show empresa como máquina e/ou cérebro.

Trabalhamos neste talk os conceitos que vislumbramos aqui de forma bastante rápida e os colocamos em prática.

Vale a pena conferir, caso você deseje:

1. Ver a sua equipe e sua empresa de uma forma mais inteligente.

2. Poder contar com o poder criativo, e inovador, das pessoas.

3. Dividir as suas responsabilidades, sempre que isso for permitido.

Levamos para a sua empresa esta abordagem de uma forma criativa, humanizada e sempre contando com o uso de tecnologias inovadoras.

Tudo isso para que se gere aprendizagem, novos conhecimentos e inovação!

Para encerrar uma breve meditação

Tive oportunidade de meditar, hoje, utilizando este pequeno trecho de um grande salmo da Bíblia. Creio que pode também lhe ajudar na sua jornada da Liderança Inteligente.

97 Quanto eu amo, ó Senhor, a vossa lei! *
Permaneço o dia inteiro a meditá-la.

98 Vossa lei me faz mais sábio que os rivais, *
porque ela me acompanha eternamente.

99 Fiquei mais sábio do que todos os meus mestres, *
porque medito sem cessar vossa Aliança.
100 Sou mais prudente que os próprios anciãos, *
porque cumpro, ó Senhor, vossos preceitos.

101 De todo mau caminho afasto os passos, *
para que eu siga fielmente as vossas ordens.
102 De vossos julgamentos não me afasto, *
porque vós mesmo me ensinastes vossas leis.

103 Como é doce ao paladar vossa palavra, *
muito mais doce do que o mel na minha boca!
104 De vossa lei eu recebi inteligência, *
por isso odeio os caminhos da mentira.

(Fonte: Salmo 118(119), 97-104 XIII (Mem) Meditação sobre a Palavra de Deus na Lei)

Fique em Paz e conte com a gente para desenvolver, cada vez mais a sua Liderança Inteligente!

Um grande e fraterno abraço.

Créditos:

Texto: Jocelito André Salvador

Imagem destacada: Freepik.com