Tristeza e desconfiança, algo que contamina a nossa missão de líderes4 min read

Eu particularmente conheci vários casos de pessoas, líderes, que cultivam, quase que com prazer, um sentimento de tristeza e desconfiança. Com certo prazer, pois este sentimentos se tornaram como “de estimação”. Ocorre que cultivar este tipo de sentimento não combina com a Liderança Inteligente.

Olá Gente Inteligente!

Desejo que vocês estejam MUITO BEM!

Certamente não sou o único que conheço, ou já conheci, pessoas com a missão da liderança, mas que carregam uma melancolia, uma tristeza e desconfiança, que são incríveis.

Não sejamos ingênuos!

A vida de ninguém de nós, seres humanos, é sempre um mar de rosas. Muito menos para quem exerce a missão da liderança.

Contudo, definitivamente, tristeza e desconfiança, de forma constante, contaminam em absoluto a posição de liderança.

Tristeza e desconfiança que afetam o time e os seus resultados

Certamente que se pudéssemos enumerar aqui cases de líderes, que mesmo sem querer, acabam transmitindo para a sua equipe os sentimentos de tristeza e desconfiança, teríamos vários.

tristeza e desconfiança

Google Imagens

Lembro, neste momento de pelo menos dois casos. Interessante que envolvem pessoas muito distintas, de ambos os sexos, em situações de “pressão” muito distintas também.

Contudo, não tem jeito, se o(a) líder mantém uma postura, quase que constante, de tristeza e desconfiança, o time começa a se desintegrar.

Quem sabe você mesmo(a) já tenha passado por isso!

A tentação de permanecer numa zona de tristeza e desconfiança

Já dividi com vocês, que acompanham este espaço, Homines Formatam, que estou tendo a oportunidade de ler com atenção a Exortação Apostólica Evangelii Gaudium – A Alegria do Evangelho – do Papa Francisco.

Falei um pouco sobre ela no post Empresas renovadas, humanas, inteligentes, inovadoras!

Neste documento do Papa Francisco, editado ainda em 2013, na sua introdução, no item 7, ele nos traz uma reflexão muito interessante, a qual faço questão de dividir com vocês:

A tentação apresenta-se, frequentemente, sob a forma de desculpas e queixas, como se tivesse de haver inúmeras condições para ser possível a alegria. Habitualmente isto acontece, porque “a sociedade técnica teve a possibilidade de multiplicar as ocasiões de prazer; no entanto encontra dificuldades grandes no engendrar também a alegria.” (Nota do autor: Paulo VI, Exort. ap. Guadete in Domino (9 de maio de 1975),8). Posso dizer que as alegrias mais belas e espontâneas, que via ao longo da minha vida, são as alegrias de pessoas muito pobres que têm pouco a que se agarrar. Recordo também a alegria genuína daqueles, que, mesmo no meio de grandes compromissos profissionais, souberam conservar um coração crente, generoso e simples.

Faço questão inclusive de destacar este ponto com bastante ênfase: “daqueles, que, mesmo no meio de grandes compromissos profissionais, souberam conservar um coração crente, generoso e simples.”

Quero dizer apenas que SIM, é possível termos uma atitude diferente. Sermos verdadeiros(as) Líderes Inteligentes, mesmo que isso não seja necessariamente fácil.

A alegria e confiança verdadeiras, que contagiam a todos, este é o papel da Liderança Inteligente

Quero reiterar aqui, embora correndo o risco de parecer repetitivo, que escolher pelo caminho da alegria e confiança, num mundo “louco” como o nosso, não é necessariamente uma tarefa fácil.

Além do que, não pode ser aquela alegria falsa. Aquela “confiança” que todo mundo sabe que termina logo que a pessoa vira as costas.

O fato é que, como podemos falar de inovação, de colaboração se não depositarmos nas pessoas a confiança necessária?

Isso não quer dizer que sejamos líderes ingênuos. Muito antes pelo contrário, vamos exercer a Intelligent Leadership.

Além do que, sem alegria como teremos times inteligentes?

Refiro-me ao que chamamos aqui de Intelligent Team. Isso quer dizer, um time que tenha condições de:Intelligent Team

  1. Aprender a aprender;
  2. Dialogar;
  3. Criar novos conhecimentos;
  4. Pensar ‘fora da caixa’;
  5. Inovar de forma sustentável.

Vamos criar novas empresas, com novas formas de ser e agir

Temos um convite para você: vamos criar empresas inteligentes, humanas e inovadoras.

Aliás, tem um post que falamos um pouco mais sobre isso: Empresas inteligentes e inovadoras: por onde começar?

De qualquer forma, para começar temos uma solução para levar para a sua empresa, a sua entidade de classe, um espaço para discussão destes conceitos. Além de um caminho para que eles sejam colocados em prática.

Refiro-me ao Talk Show sobre Smart Company: Porque você precisa ter uma.

Faço questão absoluta que você conheça este nosso talk, pois temos muita coisa interessante para discutirmos com você.

Aliás, o ano de 2018 está apenas começando. Então tem muita coisa boa pela frente para acontecer. Vamos fazer a coisa acontecer, mas de uma forma inteligente, humana e inovadora.

Fiquem com Deus e até a próxima!

Créditos:

Texto: Jocelito André Salvador

Imagem destacada: Freepik.com

Compartilhe:

Outros artigos relacionados à Inteligência Corporativa:

Sabedoria que ilumina a liderança inteligente, hum... Sabedoria é algo que vai além da inteligência, mesmo a emocional. Fato é que sem sabedoria a liderança torna-se vazia, sem sentido.Olá Caríssi...
Smart Business: tenha um ou dê adeus ao seu negóci... Neste artigo falamos um pouco sobre negócios, ou melhor, Smart Business, pois em pleno século XXI isso tende a se intensificar, não há mais espaço par...
Fidelidade, Prudência e Inovação: é possível conci... A nossa reflexão/meditação de hoje passa por três temas muito relevantes: Fidelidade, Prudência e Inovação, eis o nosso tema central. Olá Povo...