Ter um propósito de vida e SER humano: bases da Liderança Inteligente6 min read

ter um propósito de vida

Olá Caríssimos(as)!

Quando estamos envolvidos em projetos relevantes os dias parecem passar com muito mais agilidade, não é mesmo?

Pois bem, hoje quero focar nossa reflexão em duas questões, basicamente, para que, ao meu ver, possamos exercer uma liderança inteligente: ter um propósito de vida e buscar a sua plenitude do SER humano.

Naturalmente, espero que você tenha claro e presente que este espaço destina-se a provocar uma meditação e uma reflexão sobre a Liderança Inteligente. Por isso, não há a preocupação de se estabelecer uma verdade científica.

Porém, o que é trazido aqui está baseado na Doutrina Católica Apostólica Romana e em todos os estudos que estão sendo realizados para o projeto de Mestrado Acadêmico, que visa abordar a Inteligência Corporativa pelo viés da aprendizagem, conhecimento e inovação, que harmoniza pessoas e recursos tecnológicos.

Dito isso, quero lhe sugerir que possa avaliar dois pequenos, mas riquíssimos trechos do Novo Testamento da Bíblia.

  1. Evangelho – Lucas 7,11-17: Cristo, como um grande líder que É, demonstra duas características básicas do Líder Inteligente, a capacidade de ver a outra pessoa e sentir compaixão pelas suas necessidades.
  2. Primeira Carta de Paulo a Timóteo 3,1-13: esta é praticamente um tratado para quem deseja exercer a liderança inteligente.

Ter um propósito de vida e alinhar com os seus valores e princípios

Certamente para você a ideia de propósito não é necessariamente nova, mas vale a pena relembrar o seu conceito etimológico.

Segundo o Dicionário Michaelis é:

Intenção de fazer ou deixar de fazer alguma coisa; desígnio, plano, projeto, vontade”.

Assim, fica evidente que seu projeto, seu plano deve estar alinhado ao projeto da organização (empresa) que você está ligado(a). Caso contrário, fica muito difícil conciliar propósitos distintos, a longo prazo ao menos.

Não me parece à toa que muitas organizações começaram, já há algum tempo, a repensar a sua forma de ser e agir com seus talentos.

Aliás, aqui na Conducere, defendemos que talentos empresariais não são necessariamente aquelas pessoas ungidas, geniais, insubstituíveis, mas sim todas as pessoas que trabalham de forma estratégica e coordenada por um propósito maior, ou seja, o propósito organizacional.

Assim, a D. Maria que faz um ótimo cafezinho para toda a equipe, por exemplo, é um talento a ser observado, a partir do momento que está trazendo harmonia e bem estar para as demais pessoas do time.

Pois bem, mas não basta alinhar o seu propósito de vida ao da sua empresa, é necessário que você possa desenvolver algumas características, enquanto líder, que tornem você uma pessoa a ser lembrada, copiada.

Veja este breve trecho da Carta de Paulo, que nos referimos no início da nossa reflexão e veja que interessante.

Eis uma palavra verdadeira:

quem aspira ao episcopado,

saiba que está desejando uma função sublime.

2 Porque o epíscopo tem o dever de ser irrepreensível,

marido de uma só mulher, sóbrio, prudente,

modesto, hospitaleiro, capaz de ensinar.

3 Não deve ser dado a bebidas

nem violento mas condescendente,

pacífico, desinteressado.”

Naturalmente, que Paulo está falando de uma função específica, o Episcopado. Contudo, por ser esta uma função muito relevante da Liderança para as Comunidades Cristãs da época, ele faz tais advertências, que também cabem muito bem a nós, no século XXI.

Aliás, uma competência que Paulo destaca neste trecho que desejo destacar é que o(a) Líder deve ser capaz de ensinar.

Para quem já teve a oportunidade de analisar obras como A Quinta Disciplina (Peter Senge), Criação de Conhecimento na Empresa (Nonaka e Takeuchi) ou mesmo O Monge e o Executivo (James C. Hunter), sabe que tal competência está muito evidenciada para quem quer ser líder, de verdade.

Aliás, nós, Conducere, falamos sobre estes aspectos da liderança neste talk show Intelligent Leadership: aprendizagem, conhecimento e inovação.

SER humano, em plenitude, para ser Líder Inteligente

Óbvio me parece, e creio que para você isto também é evidente que no tópico anterior, ao tratamos de propósito de vida, valores, princípios e competências já estamos nos referindo ao SER um humano em plenitude.

Todavia, em função da relevância do tema, procuramos destacá-lo aqui.

Defendemos muito fortemente aqui na empresa que um(a) Líder Inteligente deve ser uma pessoa plena, não perfeita, mas em busca constante pela perfeição, através da aprendizagem.

Não foi sem razão que unimos Aprendizagem, Conhecimento e Inovação para embasar a teoria da Liderança Inteligente.

Claro é que ela encontra eco em autores bíblicos como São Paulo, mas também acadêmicos como Peter Senge e Nonaka e Takeuchi. Isso para ficarmos muito restritos a alguns nomes mais evidentes no mundo da Administração Empresarial.

Pois então, veja este exemplo de um Líder verdadeiramente Inteligente:

12 Quando chegou à porta da cidade,

eis que levavam um defunto,

filho único; e sua mãe era viúva.

Grande multidão da cidade a acompanhava.

13 Ao vê-la, o Senhor sentiu compaixão para com ela

e lhe disse: ‘Não chores!’

Este é um pequeno trecho do Evangelho segundo Lucas, que destacamos no início do nosso post.

Quero aqui evidenciar dois aspectos de Cristo, que são coerentes com a Liderança Inteligente:

  1. Ele chegou à porta da cidade e VIU uma mãe que era viúva e tinha perdido seu filho único. De fato, não é o fato de ver/enxergar com os olhos que desejo destacar, mas sim que um(a) Líder Inteligente consegue ver e compreender profundamente aquela situação.
  1. Ele SENTIU COMPAIXÃO para com ela e tomou uma atitude. Aqui o fato não é o “sentir pena”, o “coitadismo”, mas sim a capacidade de colocar-se no lugar da outra pessoa, o compartilhar da suas dores e alegrias. Obviamente, que ele agiu com a sua inteligência racional e emocional e tomou uma atitude perante o fato específico.

Uma nova forma de Liderar: esta é a nossa proposta para você!

Por aqui, temos claro que a mudança das pessoas, das empresas e da sociedade passa pela Liderança Inteligente e por isso quero convidar-lhe a navegar conosco neste propósito.

Veja este vídeo que retrata um pouco desta ideia.

Liderança na Era do Conhecimento from Conducere on Vimeo.

Um grande e fraterno abraço e até a próxima oportunidade!

Créditos

Texto: Jocelito André Salvador

Imagem em destaque no Blog: Freepik.com

Compartilhe

Outros artigos relacionados à Inteligência Corporativa:

Quem é maior: o líder sábio ou o competente? Quero lhes desafiar a avaliarmos a seguinte questão: pode o líder competente não ser sábio e o sábio não ser competente?Olá Caríssimos(as) Líd...
Liderança inteligente: um estudo de caso Olá Pessoal!Desejo sinceramente que todos vocês estejam realmente muito bem!Hoje quero falar sobre um case de aprendizagem, de liderança i...
Pensamento sistêmico na liderança: grande diferenc... Olá Povo de Deus!Sempre é muito bom estar com vocês, através das edições diárias do Homines Formatam.Hoje, vamos adentrar no assunto do pe...