Somos atores da mudança nas empresas ou meros espectadores!?6 min read

Ser ou não ser, eis a questão! Isso não poderia estar mais em voga do que agora, quando somos chamados a sermos atores da mudança que está em curso.

Aliás, podemos ser chamados à mudança, mas podemos, também, simplesmente ficar como meros espectadores. A decisão, ao fim e ao cabo, cabe a cada um de nós.

Isso parece roteiro de livro ou filme que você já viu?

Pode parecer um clichê, mas não é! Convido-lhe a dar uma olhada neste post e conferir.

Olá Caríssimos e Caríssimas!

Um prazer renovado cada vez que temos a oportunidade de nos encontrarmos por aqui e debater. Especialmente, sobre os desafios da liderança e gestão de pessoas no século XXI.

Hoje, vamos tratar, mesmo que brevemente, de um tema que é inevitável para todas as pessoas que exercem uma Liderança Inteligente.

Refiro-me ao fato de sermos chamados a ser atores da mudança em nossas organizações. Não cabe à Liderança Inteligente o papel de ser mera espectadora da carga de coisas novas que o mundo corporativo nos apresenta a cada dia.

Não quer dizer que devemos ser ativos em todas as frentes de mudança em nossas empresas. Não é isto.

O fato é, não podemos ignorar que grandes mudanças na forma de trabalhar, de nos relacionarmos com o mundo do trabalho e com as pessoas vem ocorrendo desde meados do século passado.

E isto é negativo? De forma alguma!

Quem somos nós para querer parar a roda da inovação e da mudança.

Necessitamos de líderes aptos a abraçarem as inovações e serem atores da mudança

Não podemos simplesmente parar o curso de mudanças no mundo corporativo com a Era Digital, a Economia do Conhecimento, a evolução das TDICs (Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação). Cabe à liderança das organizações não permitir que o caos se instale, de forma alguma.

Intelligent Leadership - Programa de desevolvimento de líderes da ConducereIsso quer dizer que você, independentemente da sua posição no time, tem um papel relevante neste momento histórico. Especialmente, se ocupar uma posição de liderança.

De fato, a velocidade com que se desenvolvem novas tecnologias, novos processos de negócios é muito maior do que a capacidade do ser humano em absorver novos conhecimentos.

Contudo, aí que entra exatamente a ideia da inteligência humana.

Apenas para relembrar o conceito de inteligência:

Faculdade de entender, pensar, raciocinar e interpretar; entendimento, intelecto, percepção, quengo.”

(Dicionário Michaelis On-line)

Veja que se você realmente desenvolver a competência de ser um(a) Líder Inteligente será capaz de: entender, pensar, raciocinar e interpretar.

Isso quer dizer que você tem a capacidade de ser agente da mudança.

Naturalmente, não precisa absorver todas as novidades que o mundo tecnológico, ou não, lhe apresenta. Você necessita, sim, colocar em funcionamento a sua inteligência para separar o que serve e o que não serve para o seu momento atual ou futuro.

Exercer a Liderança Inteligente vai separar aqueles(as) líderes que serão atores da mudança ou não, no mundo corporativo.

O que o ano de 2018 reserva para a sociedade e o mundo corporativo, especialmente?

Quero estabelecer aqui uma ideia que vai além do Brasil, visto que hoje, por menor que seja a sua empresa, ela precisa de uma visão global. a dispensabilidade do elemento humano

Caso nos focássemos somente no Brasil, apenas para um exercício mental, diríamos que o ano de 2018 precisa ser, no mínimo, de mudanças no cenário econômico-financeiro.

Contudo, como a proposta foi para olharmos além das nossas fronteiras, vamos relatar aqui alguns dos aspectos que inevitavelmente ocorrerão em 2018:

  1. Maior utilização da IA: haverá um incentivo constante para que se aumente a produtividade das empresas. Especialmente, baseando-se no uso de novas tecnologias, ênfase na inteligência artificial.

2. Novas startups surgirão: mais empresas disruptivas, ou não, surgirão para “bagunçar” os modelos de negócio preexistentes.

3. Tentativa de se manter o status quo: as classes que hoje detém o poder econômico, político e financeiro farão o possível e o impossível para se manterem exatamente onde estão. Isso é próprio do ser humano, aliás.

4. Pessoas serão excluídas do mundo corporativo: as pessoas menos capacitadas serão relegadas a segundo plano no mundo corporativo. Entenda-se por “menos capacitadas” como aquelas que não estão aptas a absorverem com agilidade as mudanças de processos de negócios, que estão em curso.

5. Para algumas pessoas, Apocalipse NOW!: haverá muitas pessoas confusas, depressivas e achando que o Apocalipse finalmente chegou.

Tudo isso faz parte de um processo de mudança radical, profunda, como a que estamos vivenciando. Você tem alguma dúvida que as coisas no mundo vem mudando uma velocidade nunca antes vista na história da humanidade?

Porém o fato, apenas reiterando, não é querer parar o curso ou a velocidade das mudanças.

Nosso verdadeiro foco, como Líderes Inteligentes, é sermos atores da mudança. Agirmos como seres humanos plenos, cientes da sua relevância na preservação do mundo para as futuras gerações.

Seres humanos plenos, sensíveis às mudanças, atores e não meros espectadores

Pois bem, quero trazer à tona, também, o convite que nos faz a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Considerando o compromisso que temos aqui na Conducere, por sermos empresários cristãos.

atores da mudançaNeste último final de semana de novembro/17, a CNBB lançou oficialmente o Ano do Laicato:

Cristãos leigos e leigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino”

Inclusive o lema para dar vida a este ano especial é:

Sal da Terra e Luz do Mundo”

(Evangelho segundo Mateus 5,13-14)

Estou trazendo isso à tona, pois independentemente de você ser ou não cristão, você é chamado a ser agente de transformação. Somos todos chamados a sermos atores da mudança.

Não podemos ignorar o fato que o abismo entre ricos e pobres, mundialmente aumente. Veja, por gentileza, os dados deste artigo: URGENTE: precisamos de líderes humanos e inteligentes nas nossas empresas!

Nós, seres humanos dotados de tantos talentos, especialmente a inteligência, não podemos deixar que esta situação se agrave ainda mais.

De que adianta tanto avanço tecnológico se daqui a pouco nós mesmos formos “convidados a nos retirar da nossa empresa”, pois já não somos mais úteis?

Pense nisso, vamos transformar as nossas empresas e a nossa sociedade!

Vamos ter empresas mais inteligentes, humanas e inovadoras!

Nossa missão com você e a sua empresa!

Para encerrar este nosso breve momento, quero lhe convidar a assistir um vídeo bem curto, apenas 01 min., que fala um pouco da nossa missão para com você e a sua empresa.

Missão Equipe Conducere from Conducere on Vimeo.

Agora, caso você considere que o que explanei aqui faz algum sentido para você, vamos conversar mais a respeito.

Deixe-nos lhe ajudar e sermos, juntos, atores da mudança nas organizações e por fim em toda a sociedade!

Um grande e fraterno abraço e até breve!

Créditos:

Texto: Jocelito André Salvador

Imagem em destaque: Freepik.com

Compartilhe:

Outros artigos relacionados à Inteligência Corporativa:

O (in)dispensável elemento humano para as organiza... O elemento humano é indispensável para a continuidade da vida e perenidade das organizações. Entretanto, há um foco mundial em reduzir sua importância...
A sabedoria que gera uma copiosa colheita! Estou seguindo juntamente com minha amada sócia e esposa, Valeska, um caminho de discernimento espiritual e de conhecimento muito profundo nos últ...
Formar um time inteligente através da diversidade ... Formar um time não é uma tarefa fácil. Exige, tanto do líder quanto da equipe, o compromisso de olharem para o mesmo objetivo.Olá Povo de Deus...