#1 – Resultados versus objetivos: estratégias para uma Learning Organization

Como equilibrar resultados versus objetivos estratégicos?

Executar estratégias em uma Learning Organization deve ser uma ação coordenada e muito bem planejada. Isso dito, pois ao possibilitar à organização um espaço privilegiado com: domínio pessoal, modelos mentais, objetivos comuns, aprendizado em grupo e pensamento sistêmico, qualquer desenho e execução de estratégia necessitam ser coerentes e gerar valor para o ecossistema empresarial.

resultados versus objetivos

Olá Povo de Deus!

Sempre é muito prazeroso e gratificante estar com vocês neste espaço do Homines Formatam!

Tomei ciência de um artigo escrito por Simon Horan e Michael Connerty e pubicado pela Harvard Business Review, sob o título: “A boa execução de estratégia exige o equilíbrio de 4 tensões“.

Para esta edição, tomaremos como base este artigo, além do Evangelho segundo João 10, 22-30.

Caso tenha a oportunidade, leia esta passagem em sua Bíblia. Sendo de sua preferência, segue o link para a versão online, via site da editora Loyola.

Todavia, para que tornemos a postagem mais fluida e objetiva, vamos dividi-la em quatro partes, a saber:

#1 – Resultados versus objetivos: estratégias para uma Learning Organization.

#2 – Hierarquia versus compartilhamento: relações de poder.

#3 – Aprendizagem versus treinamento: desenvolvendo realmente líderes e times.

#4 – Criatividade versus controle: caos criativo ou caos generalizado.

A inteligência de equilibrar resultados versus objetivos

Temos trazido em pauta o tema das Learning Organizations em virtude da sua importância e extrema relevância em se ter uma empresa inteligente, humana e inovadora.

resultados versus objetivosCaso queira saber mais sobre este tema, indico a leitura dos artigos:

Learning Organization sem pessoas! Isso pode!?

Organizações que aprendem incentivam o diálogo e a reflexão constantes

No artigo que citei, publicado na Harvard Business Review, os autores identificam quatro tensões que podem prejudicar a execução de uma boa estratégia.

Recomendo que se possível, você leia todo o artigo. Nele, além das explicações das tensões, há um case explicativo que enriquece bastante o entendimento.

De qualquer maneira, para poder fazer a relação desejada neste post, transcreverei parte de cada tensão, combinado?

Tensão 1: um resultado final inspirador versus um objetivo inspirador

Conforme os autores, há uma necessidade em equilibrar a motivação pelos resultados com o entendimento dos objetivos.

Perceba que, quando o aprendiz é um adulto, necessariamente ele deve entender o porque está fazendo tal ação e desejar ardentemente fazer isso. Do contrário, sua performance estará comprometida.

No Evangelho citado, alguns judeus insistiam que Jesus demonstrasse ‘o resultado final’ – “Se é o Messias, declara com franqueza!”.

Contudo, Jesus responde que apesar de todas as evidências eles não acreditam porque não o conhecem. Isto quer dizer, que os objetivos da mudança de visão e de vida eram tão desafiadores para aquelas pessoas, que não conseguiam aceitar Jesus como o Cristo.

Essas frustrações são recorrentes no processo de aprendizagem. Especialmente, quando há o desequilíbrio em quatro pilares fundamentais, que chamamos de ARCS:

  1. Attencion (atenção);
  2. Relevance (relevância);
  3. Confidence (confiança); e,
  4. Satisfaction (satisfação).

Quando estas estratégias de aprendizagem são “esquecidas” ou até menosprezadas pela equipe de Gestão Estratégica de Pessoas, todos os planejamentos para a melhoria na performance dos times dificilmente atingirão os resultados desejados.

Resultados versus objetivos: devemos concilia-os

Por mais que você não seja um designer em educação corporativa, certamente tem a noção de que um dos segredos para engajar sua equipe à mudança, é conciliar os objetivos estratégicos com os resultados desejados.

resultados versus objetivos: curso online

Freepik.com

Sabendo da dificuldade que há para os gestores de equipes e demais líderes no desenvolvimento de times, desenvolvemos a capacitação online: Como estruturar planos inovadores e estratégicos de capacitação.

Nosso foco nesta ação é capacitar os responsáveis pelo desenvolvimento de equipes a analisar, pensar e construir experiências para proporcionar um ambiente criativo, inovador e colaborativo.

Isso através da conciliação teórica e prática e a utilização de tecnologias assertivas e inovadoras.

Aguardo você no post #2 – Hierarquia versus compartilhamento: relações de poder.

De qualquer forma, desde já, opine e compartilhe suas percepções conosco sobre este assunto.

Fique no amor de Deus, de Maria e José!

Créditos

Texto: Valeska Schwanke Fontana Salvador

Imagens em destaque no Blog: Freepik.com

Compartilhe

Outros artigos relacionados à Inteligência Corporativa:

Aprender e ensinar, funções primordiais da Lideran... Em pleno século XXI, com tanta informação chegando até nós, de forma mais ou menos ordenada, e numa velocidade incrível, aprender e ensinar, de forma ...
Investir em aprendizagem hoje, para inovar em 2018... Investir em aprendizagem hoje!Não há como falarmos em inovação, sem envolvermos as pessoas. Também, não há como mencionarmos pessoas, sem agregarm...
Atrair, desenvolver talentos, criar conhecimento e... Olá Minha Gente! Hoje quero falar com vocês sobre algo que imagino possa estar presente no seu dia a dia e por isso mesmo não deve ser algo es...