Propósito da liderança inteligente, gerações distintas e inovação: como conciliar!?5 min read

propósito da liderança inteligente

Olá Líderes Inteligentes! 

Vamos falar hoje de propósito da liderança inteligente, valores para a sua empresa e como conciliar isso com diferentes gerações convivendo e ainda tendo que inovar constantemente?

Este é um espaço muito caro para nós da Conducere, pois é a oportunidade para refletirmos, meditarmos e, se for o caso, ajustarmos nossa forma de ver o mundo, as pessoas e a nossa própria vida.

Aliás, estas perguntas e reflexões existenciais remontam ao período que o ser humano começou a dar-se conta da sua existência e sua complexidade, ou seja, ter consciência de si e do mundo complexo em que vive.

Por isso mesmo, no tempo de Cristo não foi diferente e o trecho que temos hoje como base para a nossa meditação reflete bem isso. Vamos nos ater ao trecho do Evangelho segundo Lucas 6,20-26. 

Convido você a buscar este trecho, de preferência na sua Bíblia. 

Bem-aventuranças da Liderança do Século XXI

Nem precisamos aqui comentar as características do nosso tempo, onde as mudanças nas coisas como as conhecemos, sua complexidade, alavancada pela velocidade e interconectividade das informações, faz com que possamos nos sentir “meio perdidos”.

Assim, creio ser relevante voltarmos nossa mente, e consequente inteligência, a alguns princípios e valores que vem há mais de 2.000 anos.

Aliás, o próprio Jesus Cristo, não disse que viria para reformar totalmente os propósitos, princípios éticos, morais e os valores mais profundos do ser humano. Muito antes pelo contrário, Ele mesmo disse que veio para confirmar a Lei e os Profetas.

Por isso mesmo, creio haver espaço para este tipo de reflexão em plena Era da Informação, Era Digital, Era do Conhecimento.

Vamos analisar alguns pressupostos que foram discutidos por Cristo e seus contemporâneos e que podem agregar valor a nós, Líderes do Século XXI?

Precisamos ser E.T.s para seguirmos propósitos inteligentes, princípios éticos e morais nas nossas empresas?

Seja muito sincero(a), isso não parece coisa de maluco ou que vive em outro mundo? 

Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o Reino de Deus!  

Bem-aventurados, vós que agora tendes fome, porque sereis saciados!  

Bem-aventurados vós, que agora chorais, porque havereis de rir! 

Bem-aventurados, sereis quando os homens vos odiarem, vos expulsarem, vos insultarem  

e amaldiçoarem o vosso nome.”  

Agora, utilizando o dom da Inteligência que certamente você tem, vamos refletir sobre: 

  1. Será que pobres são somente os economicamente desprovidos de recursos?
  2. Ter fome, neste contexto, significa a fome física de falta de alimento? 
  3. Ficar chorando sempre é legal? 
  4. Aceitar ser odiado, expulso, insultado e amaldiçoado faz algum sentido? 

Pois bem, para que possamos transcender, ou seja, ir além da nossa percepção limitada da realidade atual e futura é preciso, em nosso entendimento, dar-se a oportunidade de: 

I. CONHECER a si mesmo e as outras pessoas.

II. APRENDER a aprender, sempre e sem limites.

III. INOVAR de forma incremental, radical e/ou disruptiva, não uma única vez, mas de forma contínua

IV. PRATICAR diariamente o autoconhecimento, o aprender a aprender e a inovação contínua.

V. SER humano em plenitude, ou seja, buscar a sua essência, seus valores fundamentais, o que gera diferenciais perenes para você e aqueles que convivem com você, para a sua organização e para a sociedade.

Nós representamos da seguinte forma:

Dimensões da Liderança Inteligente

Será possível conciliar diferentes gerações, propósito da liderança inteligente e a inovação nas empresas?

Essa é uma daquelas questões que habitam a cabeça de muitos líderes como você, não é mesmo? 

Certamente, conviver com diferentes gerações, conseguir estabelecer um propósito organizacional válido para todos (ao menos a grande maioria das pessoas) e ainda conseguir inovar, realmente não é uma tarefa muito simples.

O que estamos propondo para você e a sua organização?

Em sintonia com uma visão Cristã, que valoriza o Ser Humano em sua plenitude, assim como com a visão de Nonaka e Takeuchi sobre a criação do conhecimento organizacional para gerar inovação contínua, você, como Líder Inteligente, deve: 

a) Implantar uma cultura corporativa onde o Ser Humano não seja um mero recurso, utilizável e descartável, mas um talento a ser atraído e desenvolvido. 

b) Incentivar a cultura da dialética, ou seja, a arte de discutir, de desenvolver raciocínios e apresentar argumentos com os quais se pretende esclarecer uma questão ou fazer valer um ponto de vista (Dicionário Michaelis On-line).

c) Criar e promover o conhecimento organizacional, o qual neste contexto, passa pela interação entre as pessoas, a organização e o ambiente.

d) Utilizar a TDIC (Tecnologia Digital da Informação e Comunicação) como um meio e não um fim em si mesma.

Certamente que, ao adotar tais práticas, você e a sua organização estarão caminhando, inevitavelmente, para a manutenção de diferenciais competitivos duradouros, através da inovação contínua.

Para encerrar esta nossa meditação, dedique mais 01 min. para dar uma olhada neste vídeo que preparamos para líderes como você e organizações como a sua.

Intelligent Board Conducere from Conducere on Vimeo.

Fique com Deus e até breve!

Créditos

Texto: Jocelito André Salvador

Imagem em destaque no blog: Freepik.com

Compartilhe

Outros artigos relacionados à Inteligência Corporativa:

Criar conhecimento na empresa: verdade ou utopia? Criar conhecimento na empresa. Isso não lhe parece título de uma obra familiar? Sim, estou me referindo à obra de Nonaka e Takeuchi, ainda dos anos 19...
Cuidar das pessoas ou do negócio. O que deve ser p... Cuidar das pessoas ou do negócio. Parece uma questão simples, se não levarmos em conta todos os seus fatores. Por exemplo, sem pessoas não há negócio,...
Líderes aprendizes, inteligentes, humanos e inovad... Temos trazido em vários posts nos últimos meses a visão quanto à necessidade de sermos líderes aprendizes, inteligentes, humanos e inovadores. A mais ...