Como o seu modelo mental afeta a sua liderança5 min read

modelo mental

Olá Povo de Deus! 

A sua forma de ver o mundo e as pessoas, ou seja, o seu modelo mental, afeta, sobremaneira, a sua forma de liderar. 

Sempre muito gratificante poder dividir este breve momento com vocês, neste espaço reservado à reflexão e à meditação sobre nossas atitudes e formas de ver o mundo e as pessoas. 

Neste dia, na Liturgia da Igreja Católica, lembramos de Maria sob o título de N.Sra. das Dores. O trecho bíblico que embasa a meditação de hoje está em João 19,25-27. 

Pois bem, à primeira vista é uma coisa no mínimo estranha, ou sadomasoquista, exaltar a questão da Dor de tal forma a criar uma data comemorativa para tal, não lhe parece? 

Quero lhe convidar a olhar esta questão, a exemplo do que fez a Valeska na edição de ontem do Homines Formatam, sob um prisma distinto. 

O seu modelo mental determina a sua visão e forma de agir! 

De fato, o seu modelo mental acaba por direcionar, por assim dizer, a sua forma de ver e agir e por isso mesmo deve ser o primeiro aspecto a ser avaliado por nós. 

Neste caso específico, retratado pela Comunidade Joanina, que deu origem ao Evangelho segundo João, o sofrimento pelo sofrimento não faz o menor sentido. Haja vista que há muitas mães, até os nossos dias, que sofrem a imensa dor de perder os seus filhos. 

De qualquer forma, a questão principal aqui não está no sofrer, mas sim no solidarizar-se com quem está em sofrimento, compartilhar de suas dores, buscando formas de amenizá-las e trazer de volta o equilíbrio a todos os envolvidos. 

Contudo, e a questão do modelo mental, você pode perguntar? 

Veja, você entende o mundo como um sistema conectado ou pensa mais em algo onde as partes podem até se encontrar, mas não há conexão entre elas? 

Dependendo da sua forma de ver o mundo, seu modelo mental, você está pensando de forma sistêmica ou não.  

Não estou me referindo a relações de causa e efeito, mas ao fato que há alguém em sua equipe, por exemplo, com uma situação de sofrimento, que está tirando a sua atenção e capacidade de rendimento normal. 

 Qual a sua reação perante este fato e esta pessoa da equipe? 

  1. Você pode simplesmente ignorar o fato para ver se ele se resolve por si mesmo. 
  2. Você pode buscar compreender as causas, avaliar as consequências para a pessoa, para o time e para a organização. 

Assim, se você agir como a opção “b” está sugerindo, então você tem uma visão sistêmica, um modelo mental que permite que você veja a pessoa, o time e a organização (empresa). 

Caso contrário, o que não quer dizer que precisamos execrar quem opta pela letra “a”, você demonstra ter um modelo mental bastante focado em resultados e objetivos a curto prazo. 

Formas distintas de ver as pessoas e a organização 

Continuando a nossa linha de raciocínio vamos analisar o seguinte aspecto: como Líder Inteligente, como vejo as pessoas e a organização? 

Começando pelas pessoas, e então trazemos à baila novamente o trecho do Evangelho de hoje, vemos dois relatos que podem nos ajudar nesta reflexão. 

  1. Maria, Mãe de Jesus, poderia muito bem ter dito: é demais o sofrimento para mim, não quero nem ver isso, vou me isolar de tudo e de todos. 
  2. João, que acompanhava Maria e as outras mulheres citadas também poderia ter dito: eu tenho muitos compromissos, não tenho como receber esta pessoa (Maria) como minha mãe. Aliás, eu já tenho uma, não preciso de outra. 

Contudo, nós dois casos, tanto na atitude de Maria, quanto na de João, percebemos que independentemente de dores, medos e outros sentimentos, a visão de que o Ser Humano é mais importante e merece nossa atenção especial prevaleceu. 

Assim, também deveria ocorrer em todas as situações da nossa liderança. Por mais difícil que seja, que a dignidade de cada pessoa possa ser preservada, respeitada e defendida. 

Por outro lado, temos formas distintas de ver a organização, nossa empresa. 

Obra de Gareth Morgan

Google imagens

Gareth Morgan, em sua obra Images of Organization nos brinda com uma visão muito profunda e até divertida para descrever os modelos mentais vigentes. 

Dentre eles, aqui na Conducere, costumamos trabalhar, em especial, com dois: 

  1. A organização como uma máquina; 
  2. A organização como um cérebro. 

Aliás, já conversei com você sobre este assunto em outro artigo. Caso deseje lê-lo, acesse aqui!

De fato são formas bastante distintas de se ver o funcionamento das nossas empresas e o mais interessante é que, como Líderes Inteligentes, não precisamos escolher uma em detrimento total da outra. 

Talk show - empresa como uma máquina ou um cérebroFalamos sobre isso no Talk Show Intelligent Leadership: empresa como máquina e/ou cérebro

Espero ter a oportunidade de avançarmos nossas discussões, trocas de ideias e gerar novos conhecimentos para sermos inovadores, de verdade. 

Até a próxima oportunidade! 

Um grande e fraterno abraço. 

Créditos

Texto: Jocelito André Salvador

Imagem em destaque no Blog: Freepik.com

Compartilhe

Veja outros post relacionados a Aprendizagem, Conhecimento e Inovação:

Programa Innovare: Teaser Nosso CEO, Jocelito André Salvador, preparou um teaser para apresentar a você o Programa Innovare!Este programa é voltado para empresas que depend...
O aprendizado como um hábito para a vida – H... O aprendizado contínuo e persistente não é simplesmente uma decisão; precisa se tornar um hábito. E, para isso, é necessário dedicação. Fonte: O apre...
Você é um líder São Tomé?! Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio.Os outros discípulos contaram-lhe depois: "Vimos o Senhor!". ...