Learning Organization sem pessoas! Isso pode!?4 min read

Está aí um conceito que não é necessariamente novo: Learning Organization, mas que hoje toma uma relevância muito grande.

Este tema foi proposto por SENGE, Peter ainda nos anos 1990. Contudo, com a era da revolução digital, da informação, da comunicação e, é claro, do conhecimento, o tema deveria estar no centro das nossas atenções.

Olá Pessoas Inteligentes!

Muito bom partilhar momentos relevantes com vocês. Este, sem dúvida, é um deles.

Como vocês já sabem o espaço Homines Formatam foi pensado para, ao fim e ao cabo, formar o que chamamos de Times Inteligentes.

Parece óbvio que ao se falar de times, se fala de pessoas.

Contudo, é extremamente relevante lembrar a quantidade de pessoas, muitas delas sérias, que estão procurando compreender como será a relação ser humano x máquinas, a partir de meados do século XXI.

Por que este assunto tornou-se tão relevante?

Você deve acompanhar no seu dia a dia quantas mudanças ocorrem de forma ágil, e sem precedentes, na sua forma de se relacionar com as pessoas e/ou com sua empresa, de fazer compras, entre outros.

De fato, a ideia de Sociedade do Conhecimento, aquela que Peter Drucker já começava a falar em meados dos anos 1970, demonstra agora a sua relevância, e consequências.

Também me chamou a atenção, dois artigos que li recentemente na Harvard Business Review:

Isso demonstra, de forma inequívoca, que a visão da relação ser humano x máquinas x IA (inteligência artificial) ainda não é tão clara e límpida quanto pode parecer para alguns.

Learning Organization, o que é e para que serve

Como já citei no início deste post, estou me referindo a Learning Organization, ou simplesmente, organização que aprende, através dos conceitos de Peter Senge.

learning organizationA obra que já li e costumo reler algumas partes, de forma intermitente, é A Quinta Disciplina – A arte e a prática da organização que aprende.

Reitero a importância de todos aqueles que desejam ser Líderes Inteligentes possam avaliar com carinho esta obra.

De qualquer forma, independentemente de você já ter lido ou não esta obra, vale relembrar as cinco disciplinas de aprendizagem para uma learning organization, por SENGE destacadas:

  1. Domínio pessoal
  2. Modelos mentais
  3. Objetivos comuns
  4. Aprendizado em grupo
  5. Pensamento sistêmico

Além disso, para SENGE:

Cada uma das cinco disciplinas de aprendizagem pode ser pensada em três níveis distintos:

  • práticas: o que você faz
  • princípios: ideias orientadoras e insigths
  • essências: o estado de ser daqueles que possuem altos níveis de domínio da disciplina.

(Fonte: SENGE, Peter M. A Quinta Disciplina: a arte e a prática da organização que aprende. 31a. ed. Rio de Janeiro. Editora Best Seller. 2016, p. 579)

Então, parece ficar claro o que é uma Learning Organization, não é mesmo?

Contudo, para que serve mesmo?

Uma learning organization, ou uma organização que aprende, é a base do que denominamos de Smart Business.

Estes, por sua vez, são a aplicação do conceito de Inteligência Corporativa, que por aqui defendemos. O que nada mais é do que a integração dos pilares: aprendizagem, conhecimento e inovação.

Uma Learning Organization sem pessoas: isso é concebível?

Creio que mesmo que você nunca tenha lido toda a obra de SENGE ou não tenha nem ideia do conteúdo de conceitos relacionados como:

  • Conectivismo;
  • Teoria da criação do conhecimento organizacional;
  • Filosofia da mente.

Deve compreender que NÃO SE FAZ uma learning organization sem pessoas.

Porém, também não se faz uma learning organization, em pleno século XXI, sem empregar tecnologias inovadoras.

Com isso, o segredo não é tão complexo assim. Muito embora, não vou negar, dê um pouco de trabalho para implementar.

Aliás, como tudo que é duradouro em nossa vida, a sua implantação não acontece da noite para o dia.

Liderança inteligenteNão é a toa, e você vai verificar isso de forma clara, que ao falarmos de Liderança Inteligente, trabalhamos 05 dimensões de desenvolvimento.

Estas cinco dimensões resumem tudo o que o(a) Líder Inteligente deve desenvolver?

Naturalmente que não.

Diria que elas servem como orientadores. Assim como as cinco disciplinas de aprendizagem destacadas por SENGE, em sua obra.

Naturalmente, presume-se que seres inteligentes, como os humanos, têm a capacidade intrínseca de conhecer, compreender, analisar, sintetizar e avaliar informações.

Exatamente por isso, que defendemos com ênfase: learning organization sem pessoas não dá!

Espero que esta breve reflexão lhe ajude no seu dia a dia!

Conte com a equipe Conducere para lhe ajudar também, OK?

Um grande abraço e até a próxima!

Créditos:

Texto: Jocelito André Salvador

Imagem em destaque: Freepik.com

Compartilhe:

Outros artigos relacionados à Inteligência Corporativa:

Competências do líder inteligente: como estão as s... Ao falar em competências do líder inteligente, estamos fomentando a sua capacidade de conhecer, saber fazer e querer fazer. O que lhe motiva a isso ho...
Investir em aprendizagem hoje, para inovar em 2018... Investir em aprendizagem hoje!Não há como falarmos em inovação, sem envolvermos as pessoas. Também, não há como mencionarmos pessoas, sem agregarm...
Como ter uma empresa inteligente O que é preciso e necessário fazer para ter uma empresa inteligente? Para ter uma organização inteligente, preciso ter minimamente um processo organi...