Intelligent Board (Conselho de Inteligência Corporativa)

Para que possamos planejar, estruturar e manter uma Smart Company faz-se necessário que haja um Conselho de Inteligência Corporativa. Denominamos ele de Intelligent Board.

Intelligent Board Conducere from Conducere on Vimeo.

Qual a missão do Intelligent Board na organização?

Podemos comparar o Intelligent Board ao conselho Jedi de Star Wars, ou seja, aquelas pessoas que formam um time experiente e com competências que se complementam.

Não devemos confundir a ideia de Conselho de Inteligência com o Conselho de Administração.

A missão dos conselheiros de inteligência é agir de forma constante, diária, e contínua na empresa. O intuito é manter a empresa no rumo da inovação contínua e sustentável, através da criação e promoção do conhecimento organizacional.

Então quer dizer que o Conselho de Inteligência é formado somente por funcionários da empresa?

Não necessariamente!

A ideia central é que a maior parte do conselho seja sim formada por pessoas que já fazem parte do time diariamente. Porém, é muito salutar, senão necessário, contar com pessoas vindas de fora da organização.

Por que implantar o Intelligent Board na sua empresa?

Já tenho uma área de T&D (ou de Educação Corporativa), além de uma área de Gestão do Conhecimento. Temos inclusive uma estrutura de Conselho de Administração.

Por que mesmo preciso de mais um conselho?

Perceba que uma coisa não colide com a outra. O fato de você ter uma área de Educação Corporativa e de Gestão do Conhecimento, ou mesmo ter estruturado seu Conselho de Administração, não são impeditivos para a boa gestão do Intelligent Board.

Veja que todos pertencem ao mesmo corpo (empresa ou grupo corporativo), mas cada membro tem funções diferentes.

Neste caso, o único membro responsável por planejar, coordenar e participar das ações de criação e promoção do conhecimento, com o intuito de atender os objetivos estratégicos do negócio é o Conselho de Inteligência.

Assim, o Conselho de Administração pode auxiliar a formular os objetivos estratégicos do negócio. O Conselho de Inteligência planeja, coordena e participa das ações para que a espiral do conhecimento rode na empresa.

Intelligent BoardJá as áreas de Educação Corporativa (eventualmente T&D) e Gestão do Conhecimento vão cuidar da operacionalização das ações planejadas pelo Conselho de Inteligência.

Por exemplo, decide-se gerar um Colloquium Corporativo para debater sobre um novo processo da área de vendas.

Quem deve ter planejado e decidido o modelo foram as pessoas do Conselho de Inteligência. Já quem vai colocá-lo no ar é a área responsável, normalmente a área de Educação Corporativa.

Quem deve fazer parte do Intelligent Board?

Deve-se, necessariamente, envolver uma pessoa de cada área do negócio, não necessariamente com cargo de liderança.

O intuito é que se possa garantir uma visão ampla da organização e da sua cadeia de valor. Sem deixar de considerar, que devem ser pessoas que conhecem bem os processos do negócio.

Além disso, é extremamente aconselhável a presença de pelo menos um Mentor externo à empresa. Isso para garantir que haja uma visão “fora da caixa” e independente.

Como é estruturado/implantado o Intelligent Board?

Seguimos a metodologia que está baseada em conceitos do Design Thinking, Design Educacional e PDCL (Plan, Do, Check, Learning).

Ela está representada da seguinte forma:

O que suporta o Intelligent Board?

A Conducere disponibiliza aos seus clientes uma tríade, que visa dar todo o suporte necessário para o Conselho de Inteligência.

  1. Mentoring com profissionais experientes em Inteligência Corporativa.
  2. Confraria do Conhecimento da Conducere.
  3. Comunidade Intelligentia. Trata-se de uma Comunidade de Prática e Inovação baseada na web para dá acesso ao time 24h por dia 7 dias por semana.

Então, pronto para implantar o Intelligent Board na sua empresa? Vamos conversar?

Fale com a Conducere sobre o Intelligent BoardCompartilhe