A sua empresa inteligente e humana, este é o nosso propósito!

Você atuando numa empresa inteligente e humana. Esta é a nossa ideia! Ter uma empresa inovadora, apoiada em pessoas e na tecnologia.

Este é o propósito que estabelecemos aqui na Conducere, visto que não basta termos empresas inteligentes ou humanas. Faz-se necessário empresas inteligentes E humanas, ao mesmo tempo.

Empresa inteligente e humana

Freepik com alterações da Conducere

O que é uma empresa inteligente e humana?

Antes de responder tal questão, vale destacar que esta é a posição da Conducere e dos seus dirigentes, com base em suas crenças e competências desenvolvidas ao longo do tempo.

Naturalmente, não quer dizer que não haverá opiniões divergentes, o que nos parece absolutamente normal quando tratamos com seres inteligentes, como os humanos.

Pois bem, feita esta consideração inicial, vamos responder aqui qual é a nossa visão em relação a uma empresa inteligente e humana.

Empresa inteligente

A empresa inteligente é aquela que consegue administrar o conhecimento nela criado e propagado, de forma eficaz. Então, a partir desta administração eficaz, gera-se inovação de forma muito natural. A inovação faz parte da sua cultura, não precisa ser um programa exclusivo.

Então você vai perguntar: o que vocês entendem por administrar o conhecimento organizacional?

Convido-lhe a conhecer como pensamos a administração do conhecimento e a inovação contínua e sustentável.

Empresa humana

E quanto à empresa humana?

Quem sabe você já tenha encontrado conceitos no mundo corporativo ou acadêmico com relação ao que é ser uma empresa humana.

Normalmente, o que se vê é uma alusão à Capital Humano, ou seja, o recurso humano utilizado como o novo capital da Era do Conhecimento.

Todavia, no nosso entendimento, a empresa humana é aquela que valoriza o ser humano de forma integral, sistêmica.

O que isso quer dizer?

A empresa humana tem dirigentes que conseguem avaliar que o Ser Humano não é simplesmente um recurso. O humano é alguém insubstituível, independentemente do uso de tecnologias inovadoras, como a IA (Inteligência Artificial), por exemplo.

Assim, que fique claro que não somos contra o uso de tecnologia inovadoras. Muito antes pelo contrário, incentivamos a sua adoção.

A grande questão é: como conciliar da forma mais inteligente e sustentável possível a união entre o ser humano e a tecnologia. Neste sentido, também é que se destaca a inteligência corporativa.

Empresa inteligente e humana apoiada por tecnologia

A tecnologia é uma forte aliada para a concretização e evolução da empresa inteligente e humana.

Não podemos imaginar que seja possível a criação e promoção do conhecimento, o ecossistema de aprendizagem e a inovação, sem a sustentação tecnológica.

Homem e a máquina

Fonte: Google Imagens

Essas tecnologias podem vir sob o aspecto de ferramentas e metodologias, que aplicadas no contexto propício, resultam para a empresa inovações contínuas e sustentáveis.

Atualmente, temos disponíveis inúmeras possibilidades de aplicações tecnológicas, sejam estas ativas e/ou passivas.

Caso queira saber mais sobre as tecnologias ativas e passivas, por gentileza, acesse:

Conducere Entrevista: tecnologias ativas e passivas

Uma inovação necessariamente torna outra obsoleta?!.

Apesar de termos um vasto “à la carte” de opções, o planejamento é o passo inicial para entendermos o propósito da aplicação e dos resultados esperados.

Empresas inteligentes e humanas compreendem e utilizam a tecnologia como um meio, jamais como o fim, para à inovação permanente.

Mas, afinal qual a relevância do ser humano nas organizações?

Em primeiro lugar, é preciso dizer que , aqui na Conducere, concordamos com a Teoria da Criação do Conhecimento Organizacional, de Nonaka e Takeuchi, a qual afirma:

O conhecimento é criado apenas pelos indivíduos. Em outras palavras, uma organização não pode criar conhecimento por si mesma, sem os indivíduos. É muito importante, portanto, que a organização apoie e estimule as atividades criadoras de conhecimento dos indivíduos o que proporcione contextos apropriados para elas.”

Google imagens

(Criação e Dialética do Conhecimento, p. 25 – Gestão do Conhecimento / Hirotaka Takeuchi, Ikujiro Nonaka; tradução Ana Thorell. Porto Alegre: Bookman, 2008.)

Assim, considerando que indivíduos são apenas os seres humanos, logo, somente seres humanos podem criar conhecimento. O que não se confunde com inteligência artificial. A ênfase aqui está na capacidade criativa, nata do ser humano, que envolve, de forma simplificada, inteligências múltiplas, dentre elas a inteligência emocional.

E o que é o ser humano?

Importante é ir além deste fato da criação do conhecimento. Temos uma visão cristã de mundo e por isso concordamos com o salmista que diz:

O que é o homem na empresa inteligente e humana

Google Imagens

Quando vejo o céu, obra de teus dedos, a lua e as estrelas que fixaste, que é o homem, para dele te lembrares, e um filho de Adão, para vires visitá-lo?

E o fizeste pouco menos do que um deus, coroando-o de glória e beleza.

Para que domine as obras de tuas mãos sob seus pés tudo colocaste” (Salmo 8, 4-7)

Parece-nos claro que, muito além de um “recurso humano” o ser humano, em si, é de uma dignidade incrível. Não querendo dizer com isso, que ele é senhor e dono da natureza, visto que o humano deve buscar a harmonia com o meio ambiente.

Empresa inteligente e humana é aquela que aprende

Relevante também é dizer que dentre os nossos referenciais teóricos também está a obra de Peter Senge, que destaca as Learning Organizations (Organizações que Aprendem).

Patrícia Souto, 2013, em sua obra sobre Gestão do Conhecimento e Aprendizagem Organizacional nos traz:

A criação do conhecimento e aprendizagem são processos vitais para a inovação de gestão, produtos, serviços e processos.”

Assim, não há que se falar em empresa inteligente e humana se ela não é uma learning organization.

Vamos nos ater aqui, mais especificamente, ao que Senge destaca como a disciplina da Aprendizagem em Equipe.

Para este autor a aprendizagem em equipe é o processo de alinhamento e desenvolvimento da capacidade da equipe de criar resultados que sejam relevantes para todos os envolvidos.

A aprendizagem para o ecossistema organizacional é tão importante que deveria ser um dos primeiros tópicos de qualquer planejamento estratégico.

Recorrendo às palavras da autora Patrícia Souto:

Quanto mais turbulento, dinâmico, complexo e mutável é o ambiente em que a empresa opera, maior é a necessidade de aprendizagem.” (2013)

Dimensões críticas da aprendizagem em equipe

Vale ressaltar também que, segundo Senge, a aprendizagem em equipe, aqui no contexto de uma empresa inteligente e humana, tem três dimensões críticas.

Não esqueçamos que aprender são experiências que geram novos comportamentos e práticas.

Empresa inteligente e humana em relação as dimensões críticas da aprendizagem

Freepik com alterações da Conducere.

1. Necessidade de se pensar reflexivamente sobre assuntos complexos. A questão é: as equipes necessitam aprender como utilizar o potencial de muitas mentes a fim de serem mais inteligentes do que uma única mente.

Com relação a esta necessidade recomendamos que você possa avaliar este artigo: Permita-se parar para pensar, refletir para manter a inovação!

Além do que, criamos a figura do Colloquium Corporativo, exatamente pensando em unir várias mentes criativas para formar a empresa inteligente e humana.

2. Necessidade de uma ação inovadora e coordenada. As equipes de destaque criam um relacionamento onde há uma confiança operacional. Isso quer dizer que cada um sabe o seu papel no time e tem uma visão sistêmica e estratégica do todo.

Para abarcar tal necessidade foi que criamos o Intelligent Team.

3. Existe o papel dos membros da equipe em outras equipes. Uma equipe que aprende estimula continuamente outras equipes, através da disseminação de práticas e habilidades já desenvolvidas por ela.

Foi pensando nesta demanda que criamos a figura do conselho de inteligência, o nosso Intelligent Board.

Pois bem, agora, vamos criar um projeto para a sua empresa ser ainda mais inteligente e humana?

quero saber mais sobre o Smart Business HUBCompartilhe