Como a educação, o conhecimento e a tecnologia geram resultados9 min read

Por que o conhecimento, assim como sua gestão estão tão em voga atualmente? Como a administração deste grande diferencial competitivo impacta nos resultados das organizações.

Diferença entre dado, informação e o conhecimento

Tenho certeza de que você, ao menos uma vez na vida, já deve ter parado para pensar na quantidade de informações às quais temos acesso hoje. Aliás, isso, em especial, é fruto da popularização da internet.

Obviamente, você também já deve ter se dado conta que não temos como processar tantos dados e informações para transformá-los, todos, em conhecimento. Afinal, apesar de seres extremamente inteligentes, temos uma capacidade limitada de processamento neural.

Aliás, apenas para lembrar uma pequena fórmula para começarmos o alinhamento das nossas ideias iniciais:

Dado, informação e o conhecimento

Fonte:Turban et al., (2005), com modificações da Conducere.

Ah, uma dica, procure lembrar-se da fórmula apresentada na figura, pois vamos voltar a ela na sequencia, OK?

Pois bem, convido você a analisarmos juntos alguns aspectos que me parecem relevantes. Veja se são também para você:

  1. O que é mesmo essa tal de era e sociedade do conhecimento que alguns autores tratam?
  1. A tecnologia da informação e comunicação (TIC) pode nos ajudar de fato na administração do nosso conhecimento e das nossas organizações?
  1. Há a possibilidade do conhecimento, que é uma das bases da competência humana, poder ser gerado por seres não humanos?

Caso uma ou mais das questões anteriores faça sentido para você, então siga adiante comigo neste artigo.

1.O que é a era e a sociedade do conhecimento

Há praticamente um consenso entre os estudiosos de áreas muito diversas como sociologia, administração e economia, entre outras ciências, que se deram conta, que a virada para o segundo milênio da era cristã, em especial, marcou também uma virada da era industrial para a Era do Conhecimento. Neste sentido, a transformação do produto para o conhecimento, passou a ser o grande diferencial.

Veja que há estudos destacando que há um novo padrão técnico-econômico. Neste há uma crescente intensidade e complexidade dos conhecimentos desenvolvidos. Além disso, há a acelerada incorporação de conhecimentos nos bens e serviços produzidos e comercializados.

Mesmo que a sua empresa não seja a Apple, muito provavelmente ela tem alguma necessidade de agregar conhecimento aos seus produtos e/ou serviços. Pois a mesma precisa estar sempre atenta às necessidades de inovação com base no que “dita” o mercado consumidor.

Vejamos outra importante contribuição sobre o momento que vivemos no que se refere a pessoas, conhecimento e educação, que nos é trazida por Dutra e Comini (2010, p.102),

Observa-se, também, que a volatilidade do conhecimento e da informação se acentuou na primeira década dos anos 2000, devendo-se acentuar cada vez mais no futuro. As pessoas se sentem desorientadas com esta volatilidade, sem saber como pensar seu desenvolvimento e como filtrar a enorme quantidade de conhecimentos e informações ao seu dispor.

Além disso, podemos denominar e caracterizar a Sociedade do Conhecimento?

Um dos expoentes pensadores no estudo da dita sociedade do conhecimento, naturalmente formada em função da era do conhecimento, foi Peter Drucker para o qual essa nova sociedade será baseada no conhecimento de trabalhadores altamente qualificados.

Assim, o conhecimento deverá ser, ou já é, o recurso fundamental e diferenciador das organizações.

A esses trabalhadores qualificados, Drucker denomina Trabalhadores do Conhecimento. Embora ele deixe claro em suas obras que os mesmos não constituirão a maioria na sociedade do conhecimento, mas serão o maior grupo da população ativa.

Assim, mesmo que sejam ultrapassados em número por outros grupos sociais, serão os ditos trabalhadores do conhecimento que darão o corpo e a liderança a esta sociedade emergente.

2. Como a tecnologia da informação e comunicação (TIC) impacta na administração do conhecimento organizacional

Atualmente as tecnologias da informação e comunicação (TIC) são tão comuns entre nós que podemos não perceber como elas exercem papel central na era do conhecimento ao impulsionar um conjunto de inovações técnico-científicas, organizacionais, sociais e institucionais e gerando novas possibilidades de retorno econômico e social nas mais variadas atividades.

Obviamente, hoje com o avanço da internet com banda larga, com softwares e equipamentos que cabem na palma da nossa mão, somos capazes de nos conectar com pessoas do outro lado do mundo ou mesmo absorver o conhecimento de um curso que está sendo ofertado à distância.

Assim, podemos dizer que as TIC são consideradas como as principais difusoras de informações e conhecimento na nossa sociedade.

Naturalmente, há diversas formas de TIC, mas quero, muito rapidamente, me ater a como sistemas de gerenciamento de ensino e aprendizagem ou LMS (Learning Management System) e redes sociais corporativas podem impactar de forma muito positiva a administração do conhecimento nas nossas empresas e demais instituições.

Você pode analisar um pouco mais deste assunto ao acessar o artigo Como não desperdiçar o seu conhecimento e o da sua organização.

Pois bem, para iniciar sugiro que você possa considerar a possibilidade de utilizar de forma integrada um LMS com uma rede social corporativa.

Por quê?

Ambos se complementam e exercem papeis distintos.

O LMS vai lhe ajudar a organizar o seu processo de educação, na medida em que você pode disponibilizar cursos, materiais didáticos na biblioteca virtual, criar trilhas de conhecimento e como consequência deve haver um aumento no nível de conhecimento das pessoas envolvidas neste processo educacional.

Contudo, para que estes conhecimentos adquiridos e desenvolvidos possam se transformar em competências (conhecimento + habilidades + atitudes) é importante que possamos manter estas pessoas conectadas, independentemente de estarem distantes geograficamente.

Mas, qual é a melhor forma de fazer isso na sua organização?

Adote uma rede social corporativa, que além de facilitar o seu processo de comunicação e integração das pessoas, certamente vai fazer com que estas pessoas possam manter-se conectadas, trocando ideias e desenvolvendo suas competências de forma contínua.

Além do que, é muito fácil gerar as chamadas comunidades de prática, ou seja, comunidades que procuram discutir a solução de problemas reais, que muitas vezes começaram a ser tratados lá no curso que você criou e disponibilizou no seu LMS.

3. O conhecimento é uma exclusividade do ser humano?

Eis uma questão intrigante para fecharmos esta nossa reflexão! Em especial, quando avançamos a passos largos na ideia de inteligência artificial.

Para tentar nos ajudar com esta questão, vamos ver o que dizem alguns especialistas no assunto.

Segundo Probst, Raub e Romhardt (2002 apud ALMEIDA, FREITAS e SOUZA, 2011, p.29):

[…] conhecimento é o conjunto total incluindo cognição e habilidades que os indivíduos utilizam para resolver problemas. Ele inclui tanto a teoria quanto a prática, as regras do dia a dia e as instruções sobre como agir. O conhecimento baseia-se em dados e informações, mas, ao contrário deles, está sempre ligado a pessoas. Ele é construído por indivíduos e representa suas crenças sobre relacionamentos causais.

Outra definição muito interessante de conhecimento é a seguinte: “A informação é um fluxo de mensagens, enquanto o conhecimento é criado por esse próprio fluxo de informação, ancorado nas crenças e compromissos de seu detentor” (NONAKA e TAKEUCHI, 1997 apud ALMEIDA; FREITAS e SOUZA, 2011, p.64.).

Aranha (1992 apud PIMENTEL, 2010) define o conhecimento como a relação “[…] entre um sujeito cognoscente (consciente) e um objeto e ainda, é a forma ou o processo pelo qual o sujeito se coloca no mundo e estabelece as suas relações com as coisas nele existentes“.

Ufa! Ao menos por enquanto, podemos dizer que, sim, para haver conhecimento é necessário ter pessoas e por isso, ao menos os “trabalhadores do conhecimento”, terão seu espaço garantido na sociedade em que vivemos.

4. O que podemos concluir com as considerações que fizemos?

Pois bem, discutimos um pouco sobre o conhecimento, a era e a sociedade do conhecimento. Ainda, sobre como as TIC nos ajudam na administração do conhecimento. Sem esquecer, é claro,  que o conhecimento é uma exclusividade do ser humano.

Legal, mas qual é a importância de tudo isso?
O conhecimento e sua importância

Freepik.com com alterações da Conducere

1. Administre o conhecimento: considerando o mundo competitivo e globalizado que vivemos, que tal fazer uma melhor administração do seu conhecimento e da sua organização?

Lembra da figura que apareceu no início deste artigo?

Não adianta acumularmos dados e informações se não os transformarmos em conhecimento.

 2. Utilize as TIC de forma inteligente: aqui falamos do LMS e rede social corporativa, e como podem ser utilizados em seu favor.

Agora, não imagine que pelo simples fato de adotar tais ferramentas,  e sair copiando o projeto do seu vizinho ou concorrente, todos os seus problemas serão resolvidos.

É muito importante ter alguns processos, que não precisam ser complexos, para estruturar o seu sistema de educação corporativa e administração do conhecimento.

Contudo, sem estas ferramentas, tenha certeza de que será MUITO mais difícil obter resultados positivos para você e para sua organização.

 3. Desenvolva suas competências: aproveite que não temos no horizonte formas de substituir o conhecimento humano e evolua de forma constante, ou seja, transforme o seu conhecimento em competências ao agregar habilidades e atitudes a ele.

Créditos

ALMEIDA, Mário de Souza; FREITAS, Claudia Regina; SOUZA, Irineu Manoel. Gestão do Conhecimento para tomada de Decisão. São Paulo: Atlas, 2011.

EBOLI, Marisa. et al. Educação Corporativa: Fundamentos, evolução e implantação de projetos. São Paulo: Atlas, 2010.

LASTRES, Helena Maria Matins. et al. Desafios e Oportunidades da Era do Conhecimento. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-88392002000300009.> Acesso em 02 jun. 2016.

PIMENTEL, Mauricio Gonçalves. A Gestão do conhecimento e a formação de competências no ensino superior privado. Disponível em: <http://arquivo.fmu.br/prodoc/adm/mgpkmbr.pdf>. Acesso em: 10 jun. 2013.

SALVADOR, Jocelito André. Como se diferenciar na era do conhecimento. Volume 1: Princípios do Conhecimento e da Educação Corporativa.

TURBAN, E;. RAINER JR., R. K.; POTTER, R. E. Administração de tecnologia da informação: teoria e prática. 3ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

Texto: Jocelito André Salvador.

Compartilhe

Outros artigos relacionados à Inteligência Corporativa:

Quem é maior: o líder sábio ou o competente? Quero lhes desafiar a avaliarmos a seguinte questão sobre o líder sábio: pode o líder competente não ser sábio e o sábio não ser competente?Ol...
Como o conhecimento e a inovação impactam você e a... Conhecimento e a inovação impactam os profissionais e as empresas. Esta é uma das mensagens de Mariana Mazzucato ao programa Milênio da Globo News. ...
High Potentials: como identificá-los e desenvolvê-... High Potentials são os profissionais capazes de assumir novos desafios a qualquer tempo. Naturalmente que ter estes talentos disponíveis no ambiente e...