Cuidar das pessoas ou do negócio. O que deve ser priorizado?6 min read

Cuidar das pessoas ou do negócio. Parece uma questão simples, se não levarmos em conta todos os seus fatores. Por exemplo, sem pessoas não há negócio, mas se o negócio falir, as pessoas ficarão desamparadas. Assim, que tal pensarmos em cuidar das pessoas E do negócio?

Olá Gente de Deus!

Desejo que cada um de vocês possa estar muito bem!

Cada um de nós, sem dúvida nenhuma, neste exato momento, está passando por um processo de transformação, mais ou menos acelerado.

Aliás, isto é próprio do ser humano, ou seja, estar em constante transformação. Não precisamos ser doutores em biologia para saber que diariamente nossas células estão em constante mutação.

Pois bem, como o nosso tema hoje é cuidar das pessoas e/ou do negócio, faço questão de trazer à baila um pequeno trecho do Compêndio da Doutrina Social da Igreja Católica, que diz:

Em face das imponentes renovações do mundo do trabalho, a doutrina social da Igreja recomenda, antes de tudo, evitar o erro de considerar que as mudanças em curso ocorram de modo determinista. O fator decisivo e o “árbitro” desta complexa fase de mudança é mais uma vez o homem, que deve continuar a ser o verdadeiro protagonista do mundo do trabalho.

Ele pode e deve assumir de modo criativo e responsável as atuais inovações e reorganizações, de modo que sirvam ao crescimento da pessoa, da família, das sociedades e da inteira família humana.”

(Fonte: Compêndio da Doutrina Social da Igreja Católica – 2006 – n. 317)

Por isso mesmo, vamos falar um pouco mais sobre isso?

Cuidar das pessoas e do negócio: algo essencial na Sociedade do Conhecimento

Não é novidade, para quem acompanha um pouco do nosso trabalho, a ideia de Sociedade do Conhecimento. Algo que desde a década de 1970, vem sendo propagada a partir de Peter Drucker.

Aqui na Conducere, utilizamos as bases da Sociedade do Conhecimento para estabelecer nosso propósito, inclusive.

Além do que, por sermos empresários cristãos, cremos que:

A dimensão criativa é um elemento essencial do agir humano, também em campo empresarial, e se manifesta especialmente na aptidão a projetar e a inovar.”

(Ibiden – n. 337)

Contudo, nossas bases não estão somente nos ensinamentos da Doutrina Social da Igreja Católica. Utilizamos bases acadêmicas e científicas para ratificar o que estamos defendendo.

Caso assim não fosse, correríamos o risco de sermos meros pregadores do apocalipse, sem bases sólidas.

Você quer dois exemplos de onde isso aparece?

Na teoria da criação do conhecimento, de Nonaka e Takeuchi. Falamos um pouco neste post: Gerar diferenciais competitivos com o conhecimento, essencial, não óbvio!

Nas ideias de Peter Senge e a Quinta Disciplina. Sobre isso, falamos neste post: Aprender e ensinar, funções primordiais da Liderança Inteligente.

Será possível cuidar das pessoas ou do negócio?

Tenho convicção de que você, inteligente como é, já se deu conta de que não há esta de OU e sim de E, quando nos referimos a cuidar das pessoas e do negócio.

De qualquer forma, como hoje estou buscando referência no Compêndio da Doutrina Social da Igreja Católica, lá vai mais uma consideração que vale a pena refletirmos.

É indispensável que, no interior da empresa, a legítima busca do lucro se harmonize com a irrenunciável tutela da dignidade das pessoas que, a vário título, atuam na mesma empresa.

As duas exigências não estão absolutamente em contraste uma com a outra, pois que, de um lado, não seria realista pensar em garantir o futuro da empresa sem a produção de bens e serviços e sem conseguir lucros que sejam fruto da atividade econômica realizada; por outro lado, consentindo crescer à pessoa que trabalha, se favorecem uma maior produtividade e eficácia do trabalho mesmo.

A empresa deve ser uma comunidade solidária, não fechada nos interesses corporativos, tender a uma ecologia social do trabalho, e contribuir para o bem comum mediante a salvaguarda do meio ambiente natural.”

(Fonte: Ibiden n. 340)

Então, o que lhe parece?

Será possível para nós, Líderes do Século XXI, cuidar das pessoas e do negócio, ao mesmo tempo?

Sejamos empresários e líderes humanos e inteligentes, como São José

Nosso convite hoje é: sejamos empresários e líderes humanos e inteligentes!

Aliás, isso faz parte da Nossa missão: sua empresa inteligente, humana e inovadora.

cuidar das pessoasAlém do que, no último dia 19 de março, a Igreja Católica, lembra de José, esposo de Maria de Nazaré, Mãe de Jesus.

Não restam dúvidas de que São José foi um empresário, dentro do seu tempo histórico. Contudo, também soube conciliar sua vida familiar e afetiva.

Por isso mesmo, queremos que ele possa ser nosso exemplo de líder e empresário. Sejam também nós, pessoas que não escolhem a família ou o trabalho; o cuidar do negócio ou cuidar das pessoas.

Já pudemos perceber pelo pouco que refletimos juntos que podemos trabalhar muito mais a dimensão do E do que do OU. Não lhe parece?

Além do que, já falamos sobre isso, mas não custa retomarmos. Necessitamos ser AUTÊNTICOS.

Não devemos ser meros imitadores de alguém ou de alguma tendência. Somos únicos, irrepetíveis e profundamente dignos seres humanos.

Também aqui vale lembrar que:

Os papeis do empresário e do dirigente reveste uma importância central do ponto de vista social, porque se colocam no coração daquela rede de liames técnicos, comerciais, financeiros, culturais, que caracterizam a moderna realidade da empresa.”

(Fonte: Ibiden. n. 344)

Agora, um convite especial para você!

Vamos começar por nós a cuidar das pessoas e do negócio!

Temos reiterado este convite, pois ele, sem dúvida, tem uma relevância muito grande no nosso século.

Não precisamos acompanhar todas as notícias diárias para perceber quão longe estamos de uma sociedade justa e igualitária.

Inclusive, há um post que falamos um pouco sobre a Agenda ONU 2030. Dê uma olhada neste: Líderes inteligentes, humanos e inovadores: porque são tão importantes!

Agora, vamos ampliar este assunto?

Vale a pena conhecer, e levarmos para a sua organização, este evento: Talk Show sobre Smart Company: Porque você precisa ter uma.

Por quê?

Neste talk discutimos exatamente as bases de uma empresa inteligente, humana e inovadora. Tal empresa caracteriza-se por ser uma organização que consegue conciliar o cuidar das pessoas e do negócio.

Aguardo por você!

Um grande e fraterno abraço.

Créditos:

Texto: Jocelito André Salvador

Imagem destacada: Freepik.com

Compartilhe:

Outros artigos relacionados à Inteligência Corporativa:

Ser Trend Leader, você já pensou nisso? Olá Povo de Deus!Ser um(a) Trend Leader é uma das suas metas de vida?Pois é exatamente sobre isso que vamos falar um pouco hoje.Lembre...
Líderes Inteligentes são autênticos e competentes... Nem todo aquele que me diz: 'Senhor, Senhor', entrará no Reino dos Céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus. Naquel...
Liderança com propósito, inteligência e sabedoria... Leitura do Livro do Eclesiástico 44,1.10-15Vamos fazer o elogio dos homens famosos, nossos antepassados através das gerações. Estes, são homens...