Capital intelectual e as pessoas são o nosso maior patrimônio. Isso vale para tempos de crise?6 min read

Você, como Líder, já disse isso ou ao menos já ouviu alguém dizer: o capital intelectual e as pessoas são nosso maior patrimônio, ou seja, o capital intelectual é o mais relevante na nossa empresa. Você realmente acredita que o mundo corporativo valoriza as pessoas a este ponto? 

Olá Líderes Inteligentes! 

Estamos chegando no final do mês de outubro, caminhando para o segundo mês do último trimestre deste ano. Por isso mesmo, vale fazer uma provocação bastante relevante para que vocês possam refletir.

Ah, não posso deixar de compartilhar com você a reflexão feita pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) a respeito deste tema, o qual está abordado na Liturgia da Igreja Católica para hoje.

Vejam que forte, profunda e relevante estas considerações.

Reflexão do Evangelho segundo Lucas 13, 10-17 pela CNBB

Quando o valor material está em jogo em uma determinada situação, ninguém duvida sobre a necessidade de uma ação, pois tudo é permitido para evitar a perda material. Mas quando o valor é a pessoa humana, tudo é muito complicado. Não se pode agir por uma série de motivos como proibições legais, necessidade de uma melhor organização, haverá melhores oportunidades, não é assim que se fazem as coisas e uma série de outros argumentos. Tudo isso nos mostra que nos nossos tempos, os valores não são diferentes dos do tempo de Jesus. Nos mostra também que não vivemos plenamente o Evangelho, pois amamos mais o dinheiro do que os nossos irmãos e irmãs. 

Você se identificou com algo? Isso já aconteceu na sua empresa ou com você diretamente, enquanto Líder?

Vamos debater um pouco mais estas questões.

O capital intelectual e as pessoas são o nosso maior diferencial 

Diga a verdade, em quantas empresas ou outras organizações você já ouviu esta fala? Isso sem considerar quando ela está expressa inclusive na missão, nos valores ou na visão da organização.

capital intelectual e as pessoasSerá esta uma verdade absoluta? Será mesmo que se investe em pessoas, e por consequência, no capital intelectual, independentemente do tempo e das circunstâncias?

Por que a questão?

Veja, por gentileza. Caso o capital intelectual e as pessoas são de fato o maior diferencial de uma empresa. Logo, tal capital será o primeiro a ser incentivado em tempos de crise. Seja ela qual for: organizacional, econômica, financeira, política etc.

Você como Líder Inteligente, realmente, vê isso acontecendo no seu dia a dia?

Nós, CONDUCERE, temos uma visão muito clara sobre este aspecto. Veja alguns artigos que falamos sobre isso:

10 razões para promover o conhecimento em tempos de crise

Enxergar os sinais da mudança, não a crise, Líder Inteligente

Sua liderança está misturada com o fermento da hipocrisia?

Claro que, Inteligente como você é, saberá discernir o que cabe ou não para a sua realidade.

Contudo, a grande questão a ser considerada é: o capital intelectual e as pessoas, acima de tudo, devem ser priorizados em todas as circunstâncias?

Preciso do capital intelectual para inovar?

Sabem que aqui na CONDUCERE trabalhamos o conceito de Smart Business, ou seja, negócios que estão perfeitamente alinhados às demandas da Era do Conhecimento.

Por questões quase óbvias, no século XXI, dada a sua natureza da mudança rápida dos cenários, a evolução tecnológica constante, a mudança no perfil das pessoas e do mercado, há a necessidade constante de inovação nas empresas.

Ora, inovar, em grande medida, passa por incentivar o seu capital intelectual e as pessoas a criar novos conhecimentos, de forma constante e sustentável.

Naturalmente, que há teorias que dão mais ou menos importância para a inovação com base no capital intelectual. Nós, porém, nos baseamos na Teoria da Criação do Conhecimento Organizacional de Nonaka e Takeuchi. Para eles a criação do conhecimento, e por consequência a inovação, só existem se as pessoas forem motivadas a tal.

capital intelectual e as pessoas

Ah, vale ressaltar que não estamos excluindo com isso o uso inteligente da tecnologia em suas diversas facetas. Não estamos excluindo, por exemplo, o uso da IA (Inteligência Artificial).

Ocorre porém que, parece-me óbvio, produzimos produtos e/ou serviços para pessoas comprarem e não para máquinas.

Assim, em alguma parte do processo, por mais diminuta que seja, há a necessidade da pessoa intervir. Nem que seja para compreender as reais necessidades das outras pessoas.

Sendo assim, podemos concluir que sim, necessitamos de capital intelectual e as pessoas para inovar. Ao menos se você deseja ter uma inovação contínua e sustentável.

Nós falamos um pouco sobre isso, respaldados por um artigo da Harvard Business Review, no post: Como ajudar seu time a criar conhecimento.

As pessoas são o seu maior patrimônio?

Pois bem, Líderes Inteligentes, voltamos ao ponto inicial da nossa discussão.

De fato, será possível exercer uma Liderança Inteligente prescindindo das pessoas?

Faço questão de retomar uma parte da reflexão da CNBB, que embalou a nossa meditação de hoje aqui no espaço Homines Formatam.

Quando o valor material está em jogo em uma determinada situação, ninguém duvida sobre a necessidade de uma ação, pois tudo é permitido para evitar a perda material. Mas quando o valor é a pessoa humana, tudo é muito complicado. 

Na sua empresa isso também acontece ou não?

capital intelectual e as pessoas

Vejamos algumas situações. 

  1. Não vou ofertar tal capacitação fora do horário de expediente para o meu time senão vão quer me cobrar horas extras. Fora o incômodo com o sindicato dos trabalhadores. (Não se pode agir por uma série de motivos como proibições legais).

2. “Nós precisamos prever tal projeto de inovação no planejamento estratégico do próximo ano.” Essa é a resposta que você dá a alguém do time que vem dar uma ideia nova. Especialmente, se for num período como este que estamos passando. (… necessidade de uma melhor organização). 

3. Você já ouviu aquela velha desculpa para o corte no orçamento da área de educação corporativa, gestão do conhecimento ou mesmo inovação? “Estamos em tempos de crise, temos que cortar custos.” (… haverá melhores oportunidades, não é assim que se fazem as coisas)

Por gentileza, avalie se isto acontece ou não com você.

INNOVARE: Programa para empresas e Líderes Inteligentes 

Muito bem, não preciso ficar aqui tecendo argumentos sobre a relevância de se investir em capital intelectual e nas pessoas, independentemente do momento e das circunstâncias.

Digo isso, pois repito: você, como Ser Inteligente, já tirou suas conclusões sobre a importância ou não de investir no capital intelectual e pessoas da sua empresa.

Assim, caso você tenha considerado que ele faz sentido, ou seja, o capital intelectual efetivamente pode lhe ajudar a passar com muito mais tranquilidade por este momento de crise. Não deixe de conferir este nosso programa de capacitação.

Amigos(as) Líderes, pensem nisso, nós queremos lhes ajudar nos seus desafios diários.

Fiquem com Deus!

Até a próxima oportunidade.

Créditos:

Texto: Jocelito André Salvador

Imagem em destaque: Google Imagens

Compartilhe:

Outros artigos relacionados à Inteligência Corporativa:

Que mundo estamos deixando, Líderes Inteligentes?!... O que é o mundo? Quando você, Líder, pensa em mundo, o que lhe vem à mente?A ideia aqui não é filosofar ou buscar conceitos abstratos, mas sim ...
Porque você (não) deve criar uma universidade corp... Você já deve ter conhecido alguma, mesmo feito uma visita técnica, ou quem sabe na sua organização há uma UC (Universidade Corporativa), não é mes...
Investir em aprendizagem hoje, para inovar em 2018... Investir em aprendizagem hoje!Não há como falarmos em inovação, sem envolvermos as pessoas. Também, não há como mencionarmos pessoas, sem agregarm...